Camadas da pele: do que ela é formada?

Camadas da pele

A pele recebe uma grande parcela da atenção dos profissionais de estética, e não podia ser diferente, visto que uma pele saudável e bonita não só age como o primeiro nível de defesa do corpo, como também é capaz de aumentar a autoestima de uma pessoa.

Como dezembro é o mês dedicado para conscientização do câncer de pele, resolvemos trazer um artigo para que você possa entender cada detalhe do maior órgão do nosso corpo. Você sabia, por exemplo, que só a parte externa da pele tem 5 camadas? Continue lendo e conheça mais.

Epiderme

A epiderme é a camada da pele mais superficial, por isso essa é parte responsável pela proteção contra os radicais livres presentes no ambiente que vivemos. Além disso, é nela que as terminações nervosas ficam, o que dá  à pele a função sensorial.

Essa camada pode medir menos de meio milímetro, mas muita coisa acontece aqui. Para começar ela se subdivide em cinco partes que se organizam da seguinte maneira:

  1. Basal – a parte mais profunda onde queratinócitos começam a ser formados. Também é onde os melanócitos e células de Merkel estão presentes;
  2. Espinhosa – é onde estão as células de Largerhans (para defesa da pele) e onde os queratinócitos começam a formar a queratina. Uma curiosidade: o nome faz referência ao formato da junção das células quando vistas no microscópio.
  3. Granulosa – essa camada faz um processo chamado queratinização. Isto é, os grânulos de proteína se movem em direção à camada córnea desencadeando a transformação desses grânulos em queratina e lipídeos intercelulares.
  4. Lúcida: assim como o nome indica, essa é uma camada translúcida, pois células que estão se transformando em queratina se organizam maneira comprimida formando uma camada extremamente fina.
  5. Córnea: esse é o extrato mais superficial da epiderme que pode ser mais grossa ou mais fina dependendo da área do corpo. Lembra dos lipídios formados na camada granulosa? Eles não só ligarão as células, como também servirão como proteção aqui.

Por fim, a epiderme ainda conta com uma camada final de proteção contra agentes físicos e biológicos. Ela é chamada de camada hidrolipídica, composta pelos resíduos produzidos pelas glândulas sebáceas e sudoríparas.

Derme

A derme está localizada logo abaixo da epiderme e representa o canal de oxigenação e nutrição da pele. Já o volume pode exceder 20 vezes mais o da camada acima.

Quando falamos de tratamentos estéticos para estimular a produção de colágeno, é nessa camada que acontecerá a mágica. Pois a derme é essencialmente composta de colágeno, fibras de elastina e tecidos conjuntivos.

Temos duas subdivisões na derme:

  1. A Reticular: é a mais profunda, onde estão localizadas as células de fibroblastos — indispensáveis para a produção de colágeno e elastina. Além disso, as raízes pilosas, glândulas sebáceas, receptores sensoriais e vasos sanguíneos e linfáticos também fazem parte dessa camada.
  2. A Papila: faz a ligação direta entre a derme e a epiderme. Através das
    papilas dérmicas, essa parte forma basicamente uma área de vascularização.

Tecido Subcutâneo

Apesar de não ser considerada necessariamente uma parte da pele, o tecido subcutâneo contribui para o papel da pele. Entre suas principais funções estão o armazenamento de energia e proteção dos órgãos internos e músculos. Neste tecido estão contidas as células adiposas, os vasos sanguíneos e linfáticos, além de fibras de colágeno intercelular.

Como você pode perceber, a principal função da pele é a defesa. Ela pode agir como proteção contra agentes do meio ambiente (poeira, sujeira, corpos estranhos), abrasão química ou física e contra fontes de radiações (como a do sol, por exemplo).

Além disso, seu papel se estende às funções mais profundas no corpo como a regulação térmica, absorção de impactos e contribui para imunidade contra bactérias e fungos.

Esperamos que esse blog post possa ter te mostrado como é importante chamar atenção dos seus clientes para a saúde da pele. Cuidar dessa parte do corpo representa muito mais que somente vaidade, é uma questão de saúde.

Gostou de ler esse conteúdo? Não deixe de assinar nossa newsletter e fique por dentro de todos os artigos da BCMED.

Imagem: UNIP/SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *